Livro: CIA – Manual Oficial de Truques e Espionagem

CIA – Manual Oficial de Truques e Espionagem

H. Keith Melton e Robert Wallace, Estado Unidos, 2010

Sinopse: Na década de 50, um dos mágicos mais famosos do mundo,  John Mulholland, foi contratado pela Central de Inteligência Americana para colaborar com o ultra-secreto projeto MKULTRA. A função de Mulholland: Ensinar aos agentes da CIA estratégias de “direção de cena”, bem como técnicas de disfarce e formas criativas de manusear pílulas, pós e líquidos. Na década de 70, a CIA ordenou a destruição de todos os documentos relacionados ao MKULTRA. Entretanto, dois dos lendários manuais de Mulholland sobreviveram à ordem do governo. Quase 60 anos depois (em 2007), os autores Keith Melton e Robert Wallace encontraram os manuais perdidos de Mulholland e os reproduziram neste livro, resgantando o texto e as ilustrações originais.

Quem escreveu: Ambos os autores possuem ou já possuiram vínculo profissional com a CIA. H. Keith Melton é consultor historico da agência e técnico do Historian Tradecraft Interagency Training Center. Robert Wallace é ex-diretor do escritório de Assistência Técnica da CIA e colaborador do Centro da CIA para Estudo da Inteligência. Os autores não dão detalhes de como descobriram os manuais perdidos de Mulholland. Apenas dizem que os encontram em 2007 em pesquisa não relacionada ao tema.

O texto: É divido em duas parte, com uma longa introdução dos autores e a transcrição dos manuais de Mulholland.  A primeira parte do texto é repleta de curiosidades históricas sobre o serviço de inteligência americano e de outros países, como a KGB e o MI5 (serviço britânico). Fala também sobre o GRD, divisão de inteligência soviética pouco conhecida, que é citada nos livros da Trilogia Millenium, de Stieg Larsson, como a organização a que pertencia Alexander Zalachenko. Para aguçar mais a curiosidade, algumas das subdivisões da primeira parte do livro são: “Disfarce e troca de identidade”, “Escapologia” (como fugir de lugares impossíveis), “Moedas Mágicas” e “Ocultações”.

Já a parte dos manuais – o primeiro manual de Mulholland se chama “Algumas aplicações operacionais da arte da fraude” e o segundo “Sinais de reconhecimento” é bastante técnica mesmo. John Mulholland dá “lições” no sentido mais estrito da palavra sobre o porte e manuseio de substâncias, como colocar pílulas no café de um alvo sem que ele perceba, como fazer “cara de imbecil” em público para não atrair atenção para si, dentre várias outras coisas.

Curiosidades: Uma das coisas mais curiosas do livro é a narração em detalhes de seis tentativas fracassadas de assassinato contra Fidel Castro, planejadas pela CIA. Dentre as menos ortodoxas (nota explicativa: para mim, ortodoxo em termos de assassinato, são atentados a tiro mesmo, como o que matou Jhon Lennon e o Presidente Kennedy) estão: Roupas de Mergulho contaminadas com o bacilo da tuberculose; Explosivos camuflados em conchas, numa praia; Botas – que fidel costumava deixar ao lado da porta, do lado de fora do quarto nos hotéis, para serem trocadas – polvilhadas com veneno; E por fim a minha favorita: Charutos depiladores. Os charutos depiladores – as versões “explosivos” e “envenenados” também foram tentadas, sem sucesso – não tinha por objetivo assassinar Fidel, mas sim fazer com que ele perdesse toda a sua barba. Para a CIA, a barba de Fidel Castro era um símbolo de virilidade e força e sua perda repentina poderia causar um efeito negativo para sua imagem junto à população. Outro ponto alto do livro são as experiências, também coordenadas pelo MKULTRA, com drogas alucinógenas, como o LSD. Mas vou guardar essa para o livro, leiam e curtam a história lá.

Poréns do livro: O livro é bacana, mas a parte sobre o manuseio de pílulas, líquidos e pós, que abrange cerca de 30 páginas do livro, é um tanto enfadonha para quem não está planejando nenhum assassinato no futuro próximo. Para o leitor que não deseja matar ninguém, uma explicação técnica de como você pode ocultar uma pílula debaixo de uma caixa de fósforos e sorrateiramente introduzí-la no café da vítima, à uma distância segura para que ela não faça “splash”, basta. Entretanto, se esse não é o seu caso, acho que você, assassino, vai adorar. Outro ponto baixo é que no começo do livro, os escritores e o próprio Jhon McLaughlin, ex-diretor adjunto da CIA convidado para escrever a apresentação, tentam se esquivar da responsabilidade sobre o uso das técnicas descritas. Eles entram numa onda de dizer que isso tudo foi “concebido” mas nunca foi utilizado ou que quando tentou ser utilizado, falhou. Mas isso dura pouco e é superado pelas próprias histórias do livro.  Pensando retrospectivamente, após a leitura, a parte em que eles mais expõem os problemas éticos das ações da CIA é na parte que fala sobre as experiências com alucinógenos. Só que no caso, a “vítima” foram cidadãos americanos, alguns deles agentes da própria CIA. No restante do livro, quando o problema são os “comunistas” e etc, várias “explicações” são apresentadas para redimir as operações frente aos olhos mais críticos.

Quem vai gostar: Além de espiões, assassinos e estupradores, acho que um grande público para este livro são os escritores. Se você já pensou em escrever um suspense ambientado na paranoia da guerra fria, este é um livro a ser consultado. Se você é curioso e gosta de ler suspenses (meu caso), vai gostar também.

Quem não vai gostar: Quem não acha a menor graça nessas coisas de detetive e quem odiava o Mister M, porque vários segredos de mágica – incluindo a fantástica fuga de Houdini do “cofre sobre rodas”, o cárcere de transporte siberiano, pelo qual as autoridades Russas transladavam prisioneiros para a Sibéria – são desvendados no livro. E eu confesso: é bem decepcionante descobrir como Houdini fazia as coisas.

Aproveitem a dica! E se lerem, voltem para contar o que acharam!

Gostou deste artigo? Então veja também:

O segundo e o terceiro livro da Trilogia Millenium, que traz no centro da história o serviço de inteligência suéco, a Säpo

Um slideshow preparado pelo UOL com algumas das imagens dos manuais de Mulholland

Trecho do livro, especial para mulheres

Esta entrada foi publicada em Eu li: Técnico com as etiquetas , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , . ligação permanente.

Uma resposta a Livro: CIA – Manual Oficial de Truques e Espionagem

  1. lorrane gomes da silva diz:

    gostei muito

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s