Livro – O Estrangeiro

O Estrangeiro

Conceito: 4

Gênero: Tragédia Existencialista

Existe uma lista com cem livros que as pessoas devem ler antes de morrer. “O estrangeiro”, do escritor e filósofo argelino Albert Camus é um deles. Isto bastaria para a apresentação de qualquer livro. Mas tem mais.

Primeiro, vamos apresentar o autor. Albert camus (1913-1960) nasceu na Argélia, filho de pai francês e mãe espanhola. Camus mal conheceu o pai, morto em 1914, na Batalha do Marne, durante a I Guerra Mundial. Após a perda do pai, mudou-se com a mãe para a casa da avó, em Argel, onde cresceu e à duras penas graduou-se. Em 1939 mudou-se para a França, onde se filiou ao Partido Comunista. Através de “O estrangeiro”, conheceu Jean Paul Sartre e, juntamente com ele e sua companheira, Simone Beauvoir, desenvolveu a literatura e a filosofia existencialista. Em 1957, Camus ganhou o Prêmio Nobel de Literatura.

“O Estrangeiro” conta a história de Meursalt, um funcionário de escritório, radicado na cidade de Argel, que acaba por assassinar um árabe, sem premeditação ou razão aparente. Quando inquirido quanto ao motivo do assassinato, Meursault afirma: Foi por causa do sol.

“O estrangeiro” faz parte do chamado ciclo do absurdo do autor. O foco do livro não está nos porquês. Está na contraditória existência de Meursalt, que parece achar banal tudo que importa e se importar com tudo o que é banal. O estilo do enredo pode parecer estranho à uma primeira leitura, mas, nas palavras do próprio Meursault, se por um lado tudo parece inverossivel, por outro lado tudo parece natural.

Comentário: Um dos melhores livros que eu li na minha vida. E não pense que o fato do livro figurar na lista dos “cem mais” o torna difícil de ler. São cem míseras páginas de muito conteúdo e leitura fluente. Eu gosto de destacar a simplicidade das obras não porque acho que a gente só deve ler coisas fáceis. Mas é tão bom quando um livro é bom e você não precisa suar e sofrer com ele na mão, não é mesmo? A genialidade está na simplicidade, pode ter certeza.

No mais, descobri que a Vera Holtz e o Guilherme Leme estavam agora mesmo, no mês de setembro, com uma adaptação para o teatro do texto de “O Estrangeiro” em cartaz. Achei um vídeo no youtube a respeito que posto abaixo. Se ainda estiver em cartaz na cidade de vocês, não percam. Eu não perderia.

PS: Ah, sim, e à propósito, esqueci de citar os meus mais efusivos agradecimentos ao Vinícius, que alem de me indicar este livro, passou horas e horas me contando a historia de todos os rachas da IV Internacional, nesse mesmo dia! Valeu vinicius!!! 😉

Para quem já leu o livro: Resenha crítica de “O Estrangeiro”, por Renata Bomfim

***

Não entendeu o que significam os conceitos? Veja como este Blog dá notas:

Resolvi roubar o sistema de notas da minha faculdade para dar notas aos meus posts literários. Assim:

de 0 a 5,9 = Conceito 0;
de 6 a 6,9 = Conceito 1;
de 7 a 7,9 = Conceito 2;
de 8 a 8,9 = Conceito 3;
de 9 a 10 = Conceito 4;

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Eu li: Ficção com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s