Serra e Yeda: Dois professores por sala ou duas salas por professor?

O factóide dos dois professores por sala

Por Diângeli Soares

Pior do que a favela cenográfica e o Lula abraçando o Zé (quem?) na TV, é a mentira dos dois professores por sala. Primeiro porque “professor”, no caso, é só modo de dizer. O segundo elemento é na realidade um estagiário, remanescente do Projeto Escola da Família, do governo de Alckimin (o Geraldo), minguado por Serra. Além de minguar o Escola da Família, Serra inchou o número de alunos por sala de aula. Assim, na melhor das hipóteses há um professor para cada metade, ou seja, o número adequado de crianças.

Outro detalhe é que desde 1998 ocorre em São Paulo um processo de municipalização do ensino das primeiras séries. O Estado  foi gradualmente transferindo a responsabilidade para os municípios e são pouquíssimas as escolas estaduais que atuam na alfabetização. Serra, então, que acusa Dilma no rádio de usurpar números de seu próprio governo, usurpa os feitos administrativos de centenas de prefeituras e secretarias espalhadas pelo interior.

Há quatro anos, quando se elegeu, os jornais gaúchos anunciavam, para quem quisesse ouvir: O Governo Yeda será uma demonstração, em solo riograndense, do que seria um governo tucano, no Brasil. Os governos de São Paulo e Minas são eloqüentes exemplos de que Yeda não tirou a política da cartola. Nada mais fez do que seguir o que fazem todos os tucanos. E cá entre nós, alguns petistas. Vide últimas declarações de Dilma sobre a meritocracia.

Seria cômico, não fosse trágico, ver Serra abrindo programas eleitorais falando sobre educação. Mais ainda, ver o candidato prometer dois professores por sala quando seus governos mal oferecem salas. Yeda colocou crianças em escolas de lata, em condições que o Conselho Nacional de Justiça considerou desumanas para presidiários, no Espírito Santo. Enturmou e multiseriou, o que significa abarrotar turmas com crianças de séries diferentes, na mesma sala. Daí a piada dos dois professores do Zé, quando o que Yeda preconizou por aqui foi “meio”.

Yeda e Serra atravessam a rua, se encontram um professor. Tratam aqueles que nos ensinaram a ler como elementos perigosos, movidos por interesses escusos (“partidários”, “políticos”, “eleitorais”, Buuuu) e os recebem de armas nas mãos, escondidos atrás de suas polícias, estas também barbarizadas pela mesma política. Têm um grande medo de aglomerações, principalmente de servidores públicos e estudantes. Essa gente morena, de olhos castanhos lhes causa arrepios. Um dia, hão de derrubar tudo isso que se conhece por “eficiente” e “moderno”.

Yeda e Serra são irmãos, frutos do mesmo pé, cabeças que se projetam sobre o mesmo corpo. Ao nível do pescoço, esbarram em outras cabeças, pensadores da mesma estirpe: FHC e Aécio Neves;  Bresser Pereira e Paulo Renato de Souza. Fossem um monstro mitológico, seriam uma Hidra de Lerna, e à cada cabeça cortada surgiria uma nova. Sendo, entretanto, um partido, podem ser derrotados.

Por trás do verniz das campanhas está a tragédia dos governos. Vota bem informado em um, quem conhece o governo do outro. Como pode Serra ter ainda 40% da preferência do eleitorado Gaúcho, se Yeda mal se segura nos 15%? A resposta: Assim como o eleitorado há poucos meses não sabia que Dilma era Lula, o eleitorado ainda não sabe que Serra é Yeda. É preciso que descubram. Quem vai mostrar?

Fontes:

Dois professores na sala de aula, propaganda enganosa do governo paulista

Educadores rejeitam projetos de Yeda e aprovam estado de greve

Bohn Gass: pesquisa do CPERS prova que Governo Yeda sucateou a educação

O Ensino Público Pede Socorro

Sineta: Jornal do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande do Sul

Aumenta vantagem de Tarso (PT) sobre Fogaça (PMDB)

Dilma abre 20 pontos e já passa Serra em SP e no RS

Nota do Blog: Texto escrito à propósito da propaganda eleitoral enganosa do candidato demo-tucano, José Serra. Em 2010 eu voto pela educação. Eu voto 50 500.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Fora de Pauta com as etiquetas , , , , , , , . ligação permanente.

6 respostas a Serra e Yeda: Dois professores por sala ou duas salas por professor?

  1. Felipe diz:

    Você escreve bem, Didi! parabens pelo blog. beijo

  2. Belo artigo e belos links. Como professor, só tenho a agradecer.

  3. dsoares08 diz:

    Oi Ulisses! Fico feliz que tenha gostado. Visitei teu blog, bem legal ele!
    Abraços

  4. dsoares08 diz:

    Bahia! Nao tinha visto seu comentário, tava nos spans!
    Que legal que você gostou! Beijocas

  5. alexandre diz:

    Belo texto. Temos que mostrar ao povo quem é Serra…aqui em SC eles (DEM e PSDB) dominam..por isso somos considerados o “zero” da 101, nada é investido aqui em Santa Catarina..pior..como o catarinense nao sabe votar, eles vao ficando…abs..

    • dsoares08 diz:

      Oi Alexandre!
      Obrigada pelo comentário!
      Mais do que nunca precisamos mostrar a todo mundo quem é Serra. Ninguém melhor do que nós aqui do Sul, que já aguentamos a Yeda e família Bornhausen, para ajudar a esclarecer pro povo algumas coisinhas… 😉
      Abraços!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s