Livro – A Arte de Escrever Bem

A Arte de Escrever Bem

Gênero: Dicas de Escrita

Nota: 4

Excelente livro sobre como construir textos competentes. Inicialmente, é  voltado para jornalistas e profissionais da escrita, mas é extremamente útil para qualquer um que precise escrever. Convenhamos que todos precisamos escrever e, principalmente, convencer pessoas através da escrita. Escrevemos o tempo todo, desde as redações para concursos, até  monografias de conclusão de curso, artigos, críticas, e-mails, cartas formais, etc.

O livro tem três dicas que me marcaram muito. A primeira delas é quanto menos, melhor. Frases, parágrafos e textos longos não estão com nada. E para auxiliar esta necessidade de escrevermos menos, o livro nos apresenta o modelo de escrita em “pirâmide invertida”. O principal do texto deve estar no começo. E, de preferência, o primeiro parágrafo  deve responder de cara as seis perguntas mágicas do jornalismo: O que, Quem, Onde, Quando, Como e Porque.

A outra dica é o índice de legibilidade, um macete matemático que auxilia muito a revisão de passagens que nos soam estranhas no nosso texto. Eis a fórmula do índice:

Índice de legibilidade = (Número de Palavras / número de frases + Número de Polissílabos) x 0,4

Deu para entender? São seis passos: 1. Conte as palavras do parágrafo. 2. Conte as frases (cada frase termina por ponto). 3. Divida o número de palavras pelo número de frases. Assim, você terá a média de palavra/frase do texto. 4. Some a média da palavra/frase do texto com o número de polissílabos. 5. Multiplique o resultado por 0,4 (média de letras da palavra na frase de língua portuguesa). 6. O produto da multiplicação é o índice de legibilidade.

Os resultados podem apontar o seguinte:

1 a 7: Você está escrevendo uma história em quadrinhos.

8 a 10: Seu texto está excepcional.

11 a 15: ótimo.

16 a 19: pequena dificuldade.

20 a 30: muito difícil.

31 a 40: linguagem técnica.

Acima de 41: nebulosidade.

Por fim, uma descoberta fantástica: As únicas palavras necessárias na língua são substantivos e verbos. Adjetivos e Advérbios devem ser evitados. Especialmente os adjetivos. Incrível não? Por esta eu não esperava. Comecei a reparar que até nos romances quase não há adjetivos e advérbios. Achei super interessante.

Existem milhares de outras dicas que valem a leitura do livro, como o “truque da harmonia”, palavras proibidas, etc. Muito bom mesmo. E curto: 105 míseras páginas. Mais do que recomendado.

Esta entrada foi publicada em Eu li: Técnico com as etiquetas , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s