Cartoon e Quadrinhos no Front

Education for death (1943)

Este filme foi produzido pelos Estúdios Disney e lançado oficialmente em 15 de Janeiro de 1943. Vejam o resumo do enredo, retirado da Web:

O curta-metragem acompanha a história de Hans, um garoto alemão, desde seu nascimento. É mostrado como Hans é influenciado na escola a pensar de acordo com a doutrina nazista.

No início do filme, os pais de Hans estão diante um oficial nazista para garantir-lhe uma certidão de nascimento. O narrador explica que os pais de Hans são obrigados a mostrar certidões de seus ancestrais a fim de provar que pertencem à raça ariana. Logo em seguida, diz que o casal quer que seu filho se chame Hans; o que é aceitável, pois “Hans” não faz parte da lista de nomes proibidos pelo governo – ou seja, os de origem judaica. Também explica que o casal tem direito a ter mais onze filhos além de Hans, e conclui que é por causa do exército ariano que o chanceler Adolf Hitler anseia formar. Por seus serviços prestados ao III Reich (gerarem uma criança ariana), os pais de Hans recebem de presente uma cópia de Mein Kampf, best-seller da Alemanha no momento.

Hans vai para a escola e lá aprende o conto da Bela Adormecida. No entanto, a versão que Hans aprende mostra a “democracia” como sendo a bruxa e a “Alemanha” como sendo a bela. Hitler é o príncipe que salva a Bela das garras da bruxa. Subitamente, Hans adoece e um oficial nazista vai até a casa de seus pais lembrar-lhes que pessoas doentes não são vistas com bons olhos pelo Estado nazista e que, caso Hans não melhore, será levado a um campo de concentração. No entanto, Hans se recupera e volta à escola. Lá, aprende o conceito darwinista de seleção natural das espécies de forma manipulada; os povos denominados pelo professor de mais fracos merecem ser eliminados.

Hans se junta à juventude Hitlerista e participa da queima de livros cheio de orgulho. Em uma sequência de cenas carregadas de significação, a Bíblia Sagrada se transforma no Mein Kampf, o crucifixo numa espada cortada pela suástica e o vitral de uma igreja é brutalmente quebrado. A cena, assim como aquela da queima de livros, pode ser interpretada como a perda de valores morais tanto por parte da Alemanha quanto por parte de Hans. No final do filme, é mostrado como a vida de Hans daquele momento para frente se resumiu em marchar e saudar Hitler. Hans e seus companheiros de arma marcham e saudam desde a adolescência até se transformarem em túmulos de cemitério. E o narrador conclui que a educação dada na Alemanha nazista é a “educação para a morte”.

Curtam o filme, legendado em Português:

 

Assista também: Documentário do Discovery Channel – A Conspiração Nazista. Clique aqui para fazer o download

Superman: Red Son

Há muito tempo, quando eu ainda morava em Brasília, acho,  fui numa banca de revistas comprar os HQs dos meus super-heróis favoritos: A Turma da Mônica. Perto dos gibis da Turma da Mônica tinha, de um lado, revistas de fofoca e, de outro, gibis feiosos, cheios de figurinhas escuras, com histórias sobre pessoas que combatiam o crime com roupas justas à noite, que eu, particularmente, nunca achei muita graça.

MAS… eis que em meio a Homens-Aranha e X-Men´s eu vejo uma coisa estranha no uniforme do super homem. Cadê o “Super” do emblema do peito?

Bom, foi assim que eu descobri que existia uma versão comunista do superman. Não me lembro se eu já era comunista naquela época, mas eu comprei a revistinha, pelo inusitado da coisa. Afinal, não é todo dia que você vê o super man dizendo: “Digam aos seus amigos que eles não precisarão mais sentir medo ou fome, camaradas! Superman está aqui para resgatá-los”, como na figura ai do lado.

Não é? Vai dizer.. Camaradas… não é incrível?

Achei na internet as três revistinhas da série “Red Son” para download. O autor, Mark Millar, criou a revista para a coleção “Elseworlds”, cujo objetivo é desenvolver histórias paralelas ao universo “normal” dos personagens dos quadrinhos. Mais ou menos como os especiais de dia das bruxas do Simpson🙂 Nesse universo, não há compromisso com a continuidade das histórias do universo tradicional.

A premissa para a construção desta história foi: E se a nave do Super-Homem tivesse caído na União Soviética? Assim, o autor – que pensou pela primeira vez sobre esta questão quando era criança e leu uma história em que a nave do superman caía em águas neutras, entre a União Soviética e os EUA, e ambas as potências brigavam entre si para reinvindicar a naturalidade terráquea do menino Clark –  criou esta curiosa versão. Nela, ao invés de ser criado em uma pacata fazenda do Kansas, o kriptoniano cresce em uma fazenda coletiva na Ucrânia; ao invés de lutar pela “Justiça e pela verdade”, o homem de aço é retratado em uma transmissão de rádio como o “Grande campeão dos trabalhadores, que luta uma batalha sem fim por Stalin, pelo Socialismo e pela expansão do Pacto de Varsóvia”. Legal que os únicos valores do socialismo são o grande líder e um pacto militar…

Ainda não li todos os três gibis mas creio que o achado inusitado valha a leitura. A Wikipédia tem uma descrição bem bacana do gibi, se quiserem ler, é só seguir este link. Para quem quiser baixar o HQ,  aqui está a minha fonte.

Boa leitura a todos, e lembrem-se: Para o alto e avante!

Esta entrada foi publicada em Eu vi: Cartoons com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s