42 pontos que elegeram Evo Morales

42 pontos que elegeram Evo Morales

Do Blog Rodomundo

Por Vinícius Mansur

Macroeconomia

1) Depois de 66 anos de permanente defcit fiscal, a Bolívia alcançou superavit fiscal em todos os anos de gestão Morales. Em 2006, 4,5%; em 2007, 1,7%; em 2008, 3,2%; e, em 2009, 0,1%.

2) O PIB per capita subiu de 1.010 dólares, em 2005, para 1.651 dólares em 2008. De acordo com o FMI, em 2009, a Bolívia foi o país que apresentou a maior taxa de crescimento do PIB em toda a América Latina (3,2%).

3) A inflação em 2009 foi de 0,26%, a mais baixa em 45 anos.

4) As reservas internacionais subiram de 1,7 bilhão de dólares, em 2005, para mais de 8,5 bilhões de dólares em 2009.

5) Os depósitos bancários em moeda estrangeira na Bolívia diminuíram de 84%, em 2005, para 53% em 2009, valorizando a moeda nacional, o peso boliviano.

6) A arrecadação tributária subiu de cerca de R$ 5 bilhões para R$ 10 bilhões.

7) Com a nacionalização dos hidrocarbonetos, a arrecadação do Estado subiu de 2,4 bilhões de dólares para 8,5 bilhões de dólares.

8 ) A dívida externa caiu de 4,9 bilhões de dólares, em 2005, para 2,5 bilhões de dólares em 2009.

9) Em 2005, o crescimento da dívida interna era de 14,2%, e em 2009 foi de 5,6%.

10) Em 2005, o investimento em mineração era de 393 milhões de dólares, sendo 6,1 milhões de dólares do setor público e 387 milhões de dólares do privado. Em 2009, os investimentos chegaram a 1,285 bilhão de dólares, sendo 101 milhões de dólares do setor público (crescimento de 1.555%) e 1,185 bilhão de dólares do setor privado (crescimento de 207%).

11) Em 2005, a arrecadação de impostos com a mineração era de 56 milhões de dólares. Depois da nacionalização, em 2009, esse valor subiu para 439 milhões de dólares.

12) As exportações de 2002 a 2005 somaram 1,9 bilhão de dólares. De 2006 a 2009, alcançaram 5,2 bilhões de dólares.

13) A balança comercial de 2002 a 2005 foi de 95 milhões de dólares positivos. De 2006 a 2009, 1,5 bilhão de dólares positivo.

14) Em 2005, o investimento público foi de 629 milhões de dólares, em 2009 atingiu 1,4 bilhão de dólares.

Trabalho

15 ) De 2002 a 2005, o incremento real do salário mínimo foi de 10 pesos bolivianos. De 2006 a 2009, de 247 pesos bolivianos.

16) De 2002 a 2005, foram gerados 228 mil empregos. De 2006 a 2008, 413 mil.

17) Em 2005, 38 cooperativas foram registradas. Em 2009, 170.

18) De 2002 a 2005, 649 sindicatos foram reconhecidos. De 2006 a 2009, 1.298.

19) De 2002 a 2005, o aumento salarial na saúde e educação foi de 15,3%. De 2006 a 2009, 37%.

Educação

20) A evasão escolar, nível fundamental, era de 5,3% em 2005. Com a criação da bolsa “Juancito Pinto”, dada aos estudantes do ensino fundamental público, no valor de 200 pesos bolivianos (pouco mais de R$ 50) mensais, este índice caiu, em 2009, para 2%.

21) De 2002 a 2005, 117 unidades educativas foram construídas. De 2006 a 2009, 1.611.

22) De 2002 a 2005, nenhuma instituição pública de nível superior foi criada. De 2006 a 2009, foram quatro: Universidade Policial Antonio José de Sucre, em La Paz; Universidade Indígena Aymara Túpac Katari, em Warisata (La Paz); Universidade Indígena Quechua Casimiro Huanca, em Chimoré (Cochabamba); e Universidade Indígena Guaraní de Terras Baixas Apiaguaiki Tüpa, em Kuruyuki (Chuquisaca).

23) De 2002 a 2005, nenhum telecentro foi construído. De 2006 a 2009, 177.

24) O analfabetismo foi erradicado na Bolívia, com cooperação do governo de Cuba.

Saúde

25) Foram feitas 444.429 operações, realizadas gratuitamente por médicos cubanos, para devolver ou melhorar a vista das pessoas.

26) Em 2005, o Sistema Público de Saúde fez 13,5 milhões de atendimentos. Em 2009, 16 milhões.

27) De 2003 a 2005, 29 ambulâncias foram entregues. De 2006 a 2009, 798 ambulâncias.

28) Até 2005, só havia 15 equipamentos para hemodiálise em toda Bolívia. Em 2009, eram 65.

29) O índice de incidência do mal de chagas diminuiu de 67% para 5%.

Campo

30) Em 2005, 106.886 hectares de terra eram identificados como devolutas e aptas a realização da reforma agrária. Em 2009, elas somaram 13 milhões de hectares.

31) De 1996 a 2005, 9,321 milhões de hectares de terra boliviana foram tituladas. De 2006 a 2009, 31,181 milhões de hectares.

32) De 2006 a 2009, 449.959 hectares foram expropriados e revertidos para reforma agrária.

33) Antes da gestão Morales, o trabalho de identificação, regularização e reversão de terras era feito por serviços terceirizados, agora quem o faz é o Instituto Nacional de Reforma Agrária (Inra). Com os serviços privatizados, o custo médio de saneamento de um hectare de terra era de 10 dólares; hoje custa, em média, 1 dólar.

32) De 2000 a 2005, 223 tratores foram entregues. De 2006 a 2009, 2.066.

33) Criação das empresas estatais para apoio à produção agrícola: Emapa (alimentos), Papelbol (papel), Cartonbol (embalagens), Lacteosbol (laticínios), Azucarbol (açúcar) e EBA (amêndoa). O Estado também criou a Acebol (cimento).

34) Pela primeira vez na história da República boliviana, indígenas guaranis foram libertados do trabalho escravo. Foram 150 famílias, indenizadas em 1,2 milhão de pesos bolivianos (cerca de R$ 315 mil).

Energia

35) Em 2005, 33% da área rural tinha cobertura de serviço elétrico. Em 2009, 47%.

36) Mais de 650 mil famílias foram beneficiadas pela Tarifa Dignidade, que dá descontos de até 25% nas contas de energia a pequenos consumidores. Desde o início da Tarifa Dignidade, em 2006, o povo boliviano economizou cerca de 150 milhões de pesos bolivianos (quase R$ 40 milhões).

37) A distribuição de mais de 8,5 milhões de lâmpadas fluorescentes para cerca de 1,3 milhão de famílias diminuiu o consumo de energia elétrica na Bolívia em 123 megawatts, gerando, em média, uma economia mensal de 34 pesos bolivianos (pouco menos de R$ 10) para cada família.

Outros

38) Em dezembro de 2009, três de cada dez bolivianos receberam alguma bolsa social. Nesse ano, a bolsa Juancito Pinto chegou a 1,7 milhão de estudantes do ensino fundamental. A bolsa Juana Azurduy – que chega a quase R$ 480 em um período de 33 meses – foi paga para mais de 340 mil grávidas e crianças de até 2 anos. A Renda Dignidade – cerca de R$ 50 mensais – chegou a mais de 770 mil idosos.

39) De 2002 a 2006, 2.137 casas populares foram entregues. De 2006 a 2009, foram 13 mil casas, estando outras 20 mil em construção e mais 10 mil com financiamento já garantido.

40) De 2002 a 2005, 452 km de estradas foram construídos. De 2006 a 2009, foram 956 km. Todos os pedágios foram estatizados.

41) Em 2005, a cobertura do serviço de telecomunicações alcançava 32,53% do território. Em 2009, após a reestatização da empresa Entel, 60% do território tem cobertura.

42) Criação do Ministério de Transparência e Luta contra a Corrupção. Da posição número 180 no ranking de países menos corruptos, a Bolívia passou a ocupar a posição 103

Esta entrada foi publicada em Eu li em blog alheio com as etiquetas . ligação permanente.

2 respostas a 42 pontos que elegeram Evo Morales

  1. babington diz:

    quero ir morar na bolívia…

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s